Audiência Pública discute viabilidade de Parques Eólicos em Icapuí

 Na última sexta-feira, 25 de março de 2011, aconteceu uma Audiência Pública promovida pela Câmara Municipal de Icapuí com o propósito de fazer uma discussão acerca dos empreendimentos para produção de energia eólica, aqui no município de Icapuí. A ARATU faz parte do Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente (COMDEMA) e esteve presente à Audiência Pública. Dada a importância da temática se faz necessário outras tantas discussões e debates relacionado ao tema, que sinalizem a real dos munícipes. O debate vem deixar claro que está na hora do município de Icapuí planejar o futuro da cidade em cárater de urgência urgentíssima. É chegada a hora de discurtir com todos os segmentos da sociedade o Plano Diretor da cidade, de zonear o município de acordo com suas áreas de interesse e vocação. A cidade cresce e, que pena, de modo desordenado. É preciso pensar e planejar o futuro de nossa cidade com, responsabilidade. A participação de todos é fundamental: estudantes, poder público, escolas, Ong's, sindicatos, empresários locais... 
Para isso é necessário vontade política. Parabéns à Comissão de Meio Ambiente da Câmara Municipal que tem, nesse sentido, se monstrado sensível e sinalizado positivamente.
 
Reproduzimos, aqui, matéria feita por Claudimar Silva do blog acidadeicapui, parabéns à equipe do blog.

População discute a sustentabilidade e os impactos ambientais que esses empreendimentos podem causar.

A foto aqui ao lado não é de nenhum empreendimento de energia eólica instalado em Icapuí. Por enquanto, nossas paisagens naturais continuam da mesma forma como a natureza as criaram. Mas, nossas belezas cênicas correm o risco de sofrerem desconfiguração caso seja aprovado a implantação de parques eólicos em vários pontos do município. Está previsto a instalação de 142 aerogeradores de energia eólica, localizados entre a Serra de Mutamba e Ibicuitaba, e mais 167 na praia de Redonda, todos com a concessão de Carta de Anuência emitida pelo Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente - COMDEMA. Essa anuência é uma das exigências para a obtenção de licença ambiental de funcionamento emitido por órgãos estaduais de proteção ao meio ambiente.


Atentos as questões ambientais no município de Icapuí, os vereadores Lacerda Filho (PSDB), Gilson da Paz Segundo (PSDB) e Felipe Maia (PT), membros da Comissão de Meio Ambiente da Câmara de Vereadores, entraram com requerimento na Casa solicitando Audiência Pública para discutir com a sociedade icapuiense a viabilização da implantação de parques eólicos, os impactos ambientais que esses empreendimentos causam e sua contribuição para o desenvolvimento social e econômico do nosso município. Na ocasião foram expostos os pontos de vistas das empresas interessadas na exploração dos nossos ventos e dos ambientalistas, muito bem representados pelo professor da Universidade Federal do Ceará - UFC, Jeová Meirelles; João Joventino (ou João do Cumbe); membros da Fundação Brasil Cidadão e técnicos da Secretaria de Desenvolvimento e Meio Ambiente de Icapuí; além de outros defensores do meio ambiente. Foram apresentados os benefícios e malefícios que obras desse porte geram nas comunidades onde estão instaladas e as consequências e heranças para as gerações futuras. O secretário de Desenvolvimento e Meio Ambiente, Francinildo Nunes, afirmou que  "o governo (municipal) não é contra a instalação de usinas eólicas no município de Icapuí. Porém, essa instalação deve ser feita da maneira correta, obedecendo a legislação ambiental do município e considerando os aspectos de desenvolvimento sustentável, sem abandonar a valorização do nosso  potencial turístico".  

Durante a audiência pública, ficou evidente a necessidade de investimentos em energias limpas e renováveis. O crescimento econômico do país reflete diretamente em um maior consumo de energia, e o governo federal vem intensificando seus planos de expansão de sua matriz energética. A energia eólica, obtida através dos ventos, que em nossa região é abundante, é considerada uma das mais limpas existentes e reconhecida inclusive por entidades de defesa ambiental como o Greenpeace. O uso de energias renováveis é uma tendência mundial, já que os problemas ambientais causados pelo uso de energias que utilizam combustíveis fósseis tem contribuído para o aquecimento global. A bióloga Rosinere Ferreira, integrante da Fundação Brasil Cidadão, exibiu alguns dados sobre consumo de energia no mundo e a preocupação crescente com a sustentabilidade dos modelos energéticos usados atualmente. Os dados mostram que 82% da energia produzida no mundo são oriundas de fontes não-renováveis, o que evidentemente são fontes finitas. 

Representando a empresa Braselco, que desenvolve e assessora projetos de energia eólica, o engenheiro eletricista Ivo Carvalho Albuquerque apontou os pontos positivos da energia eólica. O principal ponto positivo é a utilização exclusivamente de vento na geração de energia, elemento abundante, inesgotável e limpo. Outras características positivas são o baixo-médio impacto ambiental no funcionamento; não emissão de efluentes sólidos; não consumo de água; redução no consumo de combustíveis fósseis produzidos por outras fontes de energias, que aos poucos perderão espaço para a eólica; geração de empregos e aprovação por boa parte dos ambientalistas.

Alguns desse benefícios apontados pela Braselco foram rebatidos. O professor da UFC, Jeová Meirelles, apontou alguns aspectos a serem considerados para instalação dos parques eólicos em Icapuí. Os problemas sociais, decorrentes da "invasão" de pessoas proporcionada pela permanência de uma empresa nas comunidades onde irão construir os parques eólicos, geram tanta degradação quanto os impactos aos sistemas ambientais. A destruição de sítios arqueológicos, desrespeito às culturas e costumes dos povos locais, a limitação de acesso dos moradores e exploração de mão-de-obra são problemas comuns enfrentados por comunidades que já possuem parques eólicos. 

Além disso, a desconfiguração da paisagem natural com o surgimento de uma "tecno-paisagem" pode afugentar turistas e apreciadores das belezas locais, um dos principais atrativos de nossa cidade. O professor alerta ainda para o agravamento da erosão de áreas costeiras, intervenção nas rotas de aves migratórias, desmatamento de grandes áreas verdes e desequilíbrio na fauna nativa. Somando-se a isso, João Joventino, mais conhecido como João do Cumbe, expôs sua experiência de luta contra a implantação do parque eólico na comunidade do Cumbe, em Aracati. Eles enfrentaram problemas antes, durante e depois da implantação do empreendimento. Para a instalação dos aerogeradores foi necessário a construção de uma estrada que "cortou" as dunas, aterrou lagoas e provocou interferência no modo de vida dos moradores da comunidade. "Hoje, a paisagem de dunas, mangues e lagoas similares aos Lencóis Maranhenses perdeu toda sua identidade visual. A comunidade perdeu sua identidade cultural e não tem mais acesso à praia. Precisa de autorização para andar nas dunas que eram suas", disse João do Cumbe.

Os investimentos dos parques eólicos em Icapuí ultrapassam a casa dos bilhões de reais. No entanto, o patrimônio ambiental, cultural e social de Icapuí precisa ser levado em consideração pelos que detém o poder de conceder licenças ambientais para esses empreendimentos. A localização desses parques precisa ser definida através de um zoneamento ambiental do município, reservando área específica para instalação de obras desse porte. O retorno financeiro e social para o município deve ser compatível com os valores investidos por essas empresas, adotando uma política de compensação ambiental direcionada de fato ao meio ambiente, mesmo sabendo que os impactos ambientais podem levar anos para serem recuperados ou até mesmo serem irreversíveis. 

Por Claudimar Silva
 
 
Fonte: www.acidadeicapui.com.br
Leia Mais

Casa da Cultura de Aracati recebe oficina de elaboração de projetos

Inicialmente pedimos desculpas aos nossos leitores e seguidores, bem como aos participantes, por só agora fazer a publicação das oficinas de elaboração de projetos promovidas pela ARATU.

No último dia 18 de março, sexta, foi realizada na Casa da Cultura de Aracati, a oficina de elaboração de projetos que contou com representantes da Câmara Municipal de Aracati, do Instituto Estrela do Mar, Projeto Oficina Escola, da COAPSOL - BODEGA, estudantes entre outros.

A oficina de elaboração de projetos faz parte do Circuito de Oficinas Temáticas do Projeto Desenvolver Preservando em execução nos municípios integrantes do CIP-DESENVOLVER (Icapuí, Fortim e Aracati) e conta com apoio financeiro da W.K. Kellogg Foundation. Outras oficinas estão sendo realizadas e temos contado com apoio e parceria de alguns órgãos/instituições e grupos nos três municípios, é o caso da Casa de Cultura de Aracati, que gentilmente nos tem sedido os espaços de suas instalações para que possamos realizar oficinas e cursos, desde já nossos agradecimentos aos quais estendemos também à Secretaria de Educação de Aracati, Secretaria de Meio Ambiente, bem como as escolas, diretores e professores do munícipio.

Abaixo segue alguns registros da oficina:



Leia Mais

ICAPUÍ: oficina de elaboração de projetos tem apoio da câmara

Inicialmente pedimos desculpas aos nossos leitores e seguidores, bem como aos participantes, por só agora fazer a publicação das oficinas de elaboração de projetos promovidas pela ARATU.
No último dia 17 de março, quinta, aconteceu no Plenário José Borges dos Reis, na Câmara Municipal de Icapuí, a oficina de elaboração de projetos que contou com a presença da Secretaria de Desenvolvimento e Meio Ambiente, do Centro de Referência da Assistência Social, do Centro de Juventude e Cidadania, além de bolsistas que acompanham o projeto Água Viva, também executado pela ARATU.
A oficina faz parte do Circuito de Oficinas Temáticas do Projeto Desenvolver Preservando em execução nos municípios integrantes do CIP-DESENVOLVER (Icapuí, Fortim e Aracati) e conta com apoio financeiro da W.K. Kellogg Foundation. Outras oficinas estão sendo realizadas e temos contado com apoio e parceria de alguns órgãos/instituições e grupos nos três municípios, é o caso da Câmara Municipal de Icapuí que gentilmente nos tem sedido o espaço do Plenário José Borges dos Reis para que possamos realizar oficinas e seminário, desde já nossos agradecimentos aos quais estendemos também à Secretaria de Educação do munícipio.
Abaixo segue alguns registros da oficina:



Leia Mais

A HORA DO PLANETA


A HORA DO PLANETA CHEGOU! PARTICIPE DESSE ATO! FAÇA PARTE DESSA CORRENTE!!!

O que é?
 

A Hora do Planeta é um ato simbólico, promovido no mundo todo pela Rede WWF, no qual governos, empresas e a população demonstram a sua preocupação com o aquecimento global, apagando as suas luzes durante sessenta minutos.
 

Quando?
 

Sábado, dia 26 de março, das 20h30 às 21h30. Apague as luzes para ver um mundo melhor. Hora do Planeta 2011.
 

Onde?
 

No mundo todo e na sua cidade, empresa, casa... Em 2010, mais de um bilhão de pessoas em 4616 cidades, em 128 países, apagaram as luzes durante a Hora do Planeta. Em 2011, a mobilização será ainda maior.

Fonte: www.horadoplanteta.org.br
Leia Mais

Câmara Municipal de Icapuí promove Audiência Pública sobre energia eólica no município.

Imagem meramente ilustrativa

A Câmara Municipal de Icapuí realiza, hoje, sexta-feira, 25, Audiência Pública que discutirá a implantação dos Parques de Energia Eólica no município de Icapuí. O evento será às 9h, no Centro de Juventude e Cidadania – CJC, antigo clube recreativo.

A atividade a ser promovida pela Câmara Municipal de Icapuí, é uma iniciativa da Comissão de Meio Ambiente, composta pelos vereadores Raimundo Lacerda Filho (PSDB), Felipe Maia (PT) e Gilson da Paz Segundo (PSDB) através do Requerimento nº 009/2011, e contará com a presença de diversas autoridades do Município e Sociedade Civil Organizada, com o intuito de promover o debate a respeito dos possíveis impactos ambientais com a implantação da energia eólica neste município.

Nota do blog:

Conscientes da enorme importância dessa Audiência Pública para o futuro de nossa cidade, onde haverá consulta popular sobre a instalação de empreendimentos de exploração de energia eólica, tentaremos viabilizar a transmissão ao vivo, via webcam, em nosso blog "A cidade Icapuí". (Por ser nossa primeira experiência com esse tipo de tecnologia, alertamos para o caráter de teste da transmissão, estando suscetível à possíveis falhas).

Além da transmissão via webcam, está previsto instalação de equipamento de som na parte externa da Câmara, para reproduzir a Audiência Pública. Assim, esperamos alcançar o maior número de pessoas possível com acesso as questões a serem discutidas durante a consulta popular.

Participe desse momento de extrema importância para nossa cidade.

FONTE: www.acidadeicapui.com.br
Leia Mais

ARATU promoverá oficina de BISCUIT

Após a oficina de Elaboração de Projetos promovida pela ARATU nos municípios de Icapuí, Aracati e Fortim,  e dando continuidade ao Circuito de Oficinas Temáticas a ARATU realizará no próximo dia 26 de março de 2011 (sábado), a partir das 13h, no Auditório da Secretaria de Educação de Icapuí, a 2ª oficina do circuito: OFICINA DE BISCUIT. A mesma será ministrada por Úrsula Cristina Maia, artista e especialista no manuseio da arte com biscuit.
O Circuito de Oficinas Temáticas é uma das atividades da Ação Educação Ambiental do Projeto Desenvolver Preservando, desenvolvido pela ARATU no CIP-DESENVOLVER.
A oficina é aberta para quem desejar participar, mas as vagas são limitadas. Garanta sua vaga o quanto antes. Os interessados podem se inscrever através do e-mail do blog: associacaoaratu@gmail.com ou pelo e-mail da instituição - aratu_ce@yahoo.com.br.
Leia Mais

DIA MUNDIAL DA ÁGUA

O Dia Mundial da Água foi criado pela ONU (Organização das Nações Unidas) no dia 22 de março de 1992. O dia 22 de março, de cada ano, é destinado a discussão sobre os diversos temas relacionadas a este importante bem natural.

Mas porque a ONU se preocupou com a água se sabemos que dois terços do planeta Terra é formado por este precioso líquido? A razão é que pouca quantidade, cerca de 0,008 %, do total da água do nosso planeta é potável (própria para o consumo). E como sabemos, grande parte das fontes desta água (rios, lagos e represas) esta sendo contaminada, poluída e degradada pela ação predatória do homem. Esta situação é preocupante, pois poderá faltar, num futuro próximo, água para o consumo de grande parte da população mundial. Pensando nisso, foi instituído o Dia Mundial da Água, cujo objetivo principal é criar um momento de reflexão, análise, conscientização e elaboração de medidas práticas para resolver tal problema.

No dia 22 de março de 1992, a ONU também divulgou um importante documento: a “Declaração Universal dos Direitos da Água” (leia abaixo). Este texto apresenta uma série de medidas, sugestões e informações que servem para despertar a consciência ecológica da população e dos governantes para a questão da água.

Mas como devemos comemorar esta importante data? Não só neste dia, mas também nos outros 364 dias do ano, precisamos tomar atitudes em nosso dia-a-dia que colaborem para a preservação e economia deste bem natural. Sugestões não faltam: não jogar lixo nos rios e lagos; economizar água nas atividades cotidianas (banho, escovação de dentes, lavagem de louças etc); reutilizar a água em diversas situações; respeitar as regiões de mananciais e divulgar idéias ecológicas para amigos, parentes e outras pessoas.

Declaração Universal dos Direitos da Água

Art. 1º – A água faz parte do patrimônio do planeta.Cada continente, cada povo, cada nação, cada região, cada cidade, cada cidadão é plenamente responsável aos olhos de todos.

Art. 2º – A água é a seiva do nosso planeta.Ela é a condição essencial de vida de todo ser vegetal, animal ou humano. Sem ela não poderíamos conceber como são a atmosfera, o clima, a vegetação, a cultura ou a agricultura. O direito à água é um dos direitos fundamentais do ser humano: o direito à vida, tal qual é estipulado do Art. 3 º da Declaração dos Direitos do Homem.

Art. 3º – Os recursos naturais de transformação da água em água potável são lentos, frágeis e muito limitados. Assim sendo, a água deve ser manipulada com racionalidade, precaução e parcimônia.

Art. 4º – O equilíbrio e o futuro do nosso planeta dependem da preservação da água e de seus ciclos. Estes devem permanecer intactos e funcionando normalmente para garantir a continuidade da vida sobre a Terra. Este equilíbrio depende, em particular, da preservação dos mares e oceanos, por onde os ciclos começam.

Art. 5º – A água não é somente uma herança dos nossos predecessores; ela é, sobretudo, um empréstimo aos nossos sucessores. Sua proteção constitui uma necessidade vital, assim como uma obrigação moral do homem para com as gerações presentes e futuras.

Art. 6º – A água não é uma doação gratuita da natureza; ela tem um valor econômico: precisa-se saber que ela é, algumas vezes, rara e dispendiosa e que pode muito bem escassear em qualquer região do mundo.

Art. 7º – A água não deve ser desperdiçada, nem poluída, nem envenenada. De maneira geral, sua utilização deve ser feita com consciência e discernimento para que não se chegue a uma situação de esgotamento ou de deterioração da qualidade das reservas atualmente disponíveis.

Art. 8º – A utilização da água implica no respeito à lei. Sua proteção constitui uma obrigação jurídica para todo homem ou grupo social que a utiliza. Esta questão não deve ser ignorada nem pelo homem nem pelo Estado.

Art. 9º – A gestão da água impõe um equilíbrio entre os imperativos de sua proteção e as necessidades de ordem econômica, sanitária e social.

Art. 10º – O planejamento da gestão da água deve levar em conta a solidariedade e o consenso em razão de sua distribuição desigual sobre a Terra.


Fonte: http://salveoplanet.wordpress.com
Leia Mais

Concurso de Cartazes: escolas têm até hoje para entrega de cartazes

As escolas municipais de Icapuí que estão participando do CONCURSO DE CARTAZES promovido pela Associação ARATU de Proteção aos Ecossistemas Costeiros têm até hoje, 21 de março de 2011, para entregarem na Secretaria de Educação do município os seus cartazes que irão concorrer a premiação. O concurso tem como temática as "MUDANÇAS CLIMÁTICAS". A iniciativa é uma das ações previstas do Projeto Desenvolver Preservando executado pela instituição. Os alunos da rede municipal de ensino do município que cursam o Ensino Fundamental I (1º a 5º ano) foram o público-alvo. O mesmo concurso também foi realizado nos município de Aracati e Fortim, municípios que assim como Icapuí integram o CIP-DESENVOLVER.
Os cartazes deverão ser entregue no Setor de Estatística da Secretaria de Educação. Haverá premiação para os 02(dois) melhores cartazes de cada escola participante e para os 02(dois) melhores cartazes do município.
O resultado será publicado neste blog tão longo esteja disponível.
Leia Mais

Audiência Pública do PLDM acontece na Praia da Redonda

Acontece hoje, 21 de março de 2011, a partir das 10h, na Escola Horizonte da Cidadania, Audiência Pública para discussão do PLANO LOCAL DE DESENVOLVIMENTO DA MARICULTURA NOS ESTADOS DO RN E CE (PLDM). Os Planos Locais de Desenvolvimento da Maricultura são uma iniciativa do Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) de realizar o desenvolvimento da maricultura (cultivo de ostras, algas e peixes no mar) de forma sustentável e participativa. Criados oficialmente através da Instrução Normativa SEAP nº 17 de 22 de setembro de 2005, os PLDM têm por objetivo planejar o desenvolvimento da maricultura utilizando ferramenta de microzoneamento numa escala municipal.
Inicialmente os PLDM estão sendo executados nos municípios de Icapuí, Fortim, São Gonçalo do Amarante, Traíri, Itapipoca e Amontada no Estado do Ceará e nos municípios de Baía Formosa, Galinhos, Macau, Porto do Mangue, Rio do Fogo, Touros e São Miguel do Gostoso no Estado do Rio Grande do Norte.
Os PLDM facilitarão o acesso dos pequenos maricultores e pescadores artesanais às águas da União, uma vez que o Estado está assumindo a responsabilidade e os custos de elaboração dos estudos necessários para a delimitação das áreas.
Uma abordagem participativa é garantida nos PLDM através da instituição de Comitês Estaduais e Comitês Locais, como órgãos consultivos e de assessoramento técnico do MPA, para promover a integração interinstitucional entre órgãos governamentais, do setor acadêmico, do setor produtivo e outros órgãos representativos da sociedade civil, no âmbito estadual e local.
Leia Mais

ENCONTRO DA REDE DE EA EM FORTIM É ADIADO


O encontro de articulação da REDE DESENVOLVER DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL marcado para o dia 24 de março de 2011, quinta-feira, foi adiado para o dia 14 de abril de 2011, quinta-feira. A decisão saiu logo após reunião da ARATU com o grupo de articulação local em Fortim.
A Rede Desenvolver de EA é uma proposta de articulação entre todos os grupos e atores, dos municípios de Aracati, Fortim e Icapuí, envolvidos na Educação Ambiental formal e informal. Com a iniciativa pretende-se a partir de um espaço de discussão e articulação, favorecer a troca de experiências entre as mais diversas organizações e possibilitar um trabalho conjunto onde o desenvolvimento e fortalecimento dos grupos da região propicie a disseminação de uma Educação Ambiental que considere todas as dimensões de relações na qual o homem está inserido, sejam elas de cunho político, social, econômico e/ou cultural.
Leia Mais

CONCURSO DE CARTAZES: CHEGOU A VEZ DE ICAPUÍ

Após o sucesso do concurso de cartazes em Aracati e Fortim, chegou a vez das escolas da rede municipal de Icapuí. Durante esta semana os alunos do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental estão produzindo cartazes sobre o tema MUDANÇAS CLIMÁTICAS. A Comissão Julgadora apreciará os cartazes no próximo dia 22 de março, terça-feira, no Auditório da Secretaria de Educação, a partir das 08h.
Leia Mais

ARATU PROMOVE OFICINAS DE ELABORAÇÃO DE PROJETOS


A ARATU está promovendo uma série de oficinas destinadas a grupos organizados e instituições da região. As oficinas fazem parte das ações previstas no PROJETO PRESERVANDO, desenvolvido pela instituição nos municípios de Aracati, Fortim e Icapuí, cidades localizadas no litoral leste do estado do Ceará.
As primeiras oficinas serão de ELABORAÇÃO DE PROJETOS e se iniciam já agora, em março. Confira as datas e locais, abaixo:

ARACATI
Data: 18 de março de 2011 (sexta-feira)
Local: Casa da Cultura
Hora: das 13h às 17h

ICAPUÍ
Data: 17 de março de 2011 (quinta-feira)
Local: Câmara Municipal
Hora: das 08h às 12h

FORTIM
Data: 18 de março de 2011 (sexta-feira)
Local: Centro de Juventude e Cidadania - CJC
Hora: das 08h às 12h

Estão disponíveis 20 vagas em cada município. Os interessados deverão entrar em contato com a ARATU através do blog, na aba 'contatos', ou então através do e-mail: aratu_ce@yahoo.com.br.
Tão logo as demais oficinas estejam definidas, bem como datas, horários e locais, divulgaremos aqui no blog.
Leia Mais

Associação Caatinga abre 05 novas vagas

A Associação Caatinga iniciou hoje o processo de seleção para o preenchimento de 5 novas vagas. Três dessas vagas serão destinadas ao projeto No Clima da Caatinga patrocinado pela Petrobras através do programa Petrobras Ambiental. As outras duas são destinadas ao  projeto Embarque nas Trilhas da Caatinga patrocinado pela TAM Linhas Aéreas. O envio de currículos vai até dia 21 de março.
Maiores informações acesse: www.acaatinga.org.br.


Fonte: www.acaatinga.org.br
Leia Mais

Meio Ambiente é tema de Campanha da CNBB

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lançou, oficialmente, nessa quarta-feira de Cinzas (09/03/2011) a Campanha da Fraternidade 2011, com o tema "Fraternidade e a Vida no Planeta". Desde 1964, ano em que foi lançada a primeira Campanha da Fraternidade, ja se passaram 47 anos. Não é a primeira vez que a ecologia é tema da CF, em anos anteriores a CNBB já havia discutido temas voltados a questão ambiental, por exemplo: a Amazônia (2002), Água (2004), a questão indígena (2007), apenas para citar algumas campanhas.
O tema da CF-2011 proposta pela CNBB está na agenda mundial e não é uma preocupação apenas da Igreja do Brasil, mas algo que diz respeito à todos os habitantes da Casa Mãe, o planeta Terra. Com a campanha a CNBB quer "Contribuir para a conscientização das comunidades cristãs e pessoas de boa vontade sobre a gravidade do aquecimento global e das mudanças climáticas, e motivá-las a participar dos debates e ações que visam enfrentar o problema e preservar as condições de vida no planeta", é o que propõe o objetivo geral da campanha.
Em entrevista à imprensa, o secretário geral da CNBB, dom Dimas Lara Barbosa, e o secretário executivo da Campanha da Fraternidade, padre Luiz Carlos Dias, apresentaram aos jornalistas os objetivos da Campanha, destacando seus principais pontos.
O secretário da CNBB disse que a Campanha deste ano apresenta uma reflexão bastante ampla, refletida em dois grandes temas preocupantes: ‘aquecimento global e mudanças climáticas’. “A partir desses pontos, a Igreja no Brasil vem mostrar que estamos preocupados em discutir temas relevantes para a sociedade viver melhor”.
Já o secretário executivo da Campanha da Fraternidade, padre Luiz Carlos Dias, afirmou que um dos passos importantes da Campanha que começa hoje é mobilizar as pessoas em torno de políticas públicas por mudanças que favoreçam o desenvolvimento da temática proposta.
“Queremos mobilizar a sociedade para agir de forma positiva nos diversos níveis da sociedade civil e dos poderes constituídos para a aplicação de políticas que favoreçam um planeta melhor para todos viverem”, frisou o secretário da Campanha.
Padre Luiz fez uma síntese do texto-base da CF-2011. Destacou, entre outros pontos, o trabalho que é feito nas bases da Igreja para o desenvolvimento da Campanha. Ele criticou o atual sistema de produção e consumo que contribui “para a exclusão social”.

Propostas concretas

Dom Dimas enumerou algumas ações concretas que a Campanha sugere nos níveis pessoal, comunitário e de governo para a preservação do meio ambiente.
“O cidadão pode colaborar com pequenas ações e cultivar hábitos saudáveis como a utilização de fontes renováveis de energia, como é o caso da energia solar, coleta seletiva de lixo, a própria questão do respeito com relação à água”, advertiu.
O secretário disse ainda acreditar na mobilização coletiva para a mudança de comportamento e educação das pessoas para um modo de vida que favoreça a humanidade. Ele citou o caso da crise do apagão, ocorrida em 2001 e 2002 no Brasil, como exemplo de mobilização da sociedade que pode gerar conscientização e respeito para com o meio ambiente.
“Quando as pessoas se viram ameaçadas de ficarem sem energia, logo começaram a trocar lâmpadas, diminuir o número de eletrodomésticos e, assim, conseguimos reduzir o consumo de energia elétrica de uma maneira que antes era impensável”.


Código Florestal

Segundo dom Dimas, a aprovação das mudanças no Código Florestal Brasileiro têm ocupado a pauta de preocupações da CNBB. Há um ano, o Conselho Episcopal Pastoral da CNBB (Consep) emitiu uma nota em que enumera alguns itens preocupantes no texto que muda o Código.
“Tivemos, há pouco tempo, uma reunião com técnicos do Ministério do Meio Ambiente e pudemos observar o esforço que setores do Governo estão fazendo para dialogar com movimentos sociais representativos das comunidades mais vulneráveis como quilombolas, ribeirinhos, povos indígenas, barragens. Esses movimentos todos têm procurado o Governo e a CNBB no sentido de incentivar para que não sejamos tão apressados em aprovar o novo Código Florestal”, disse dom Dimas.
Dom Dimas expressou, ainda, preocupações com o Pré-Sal e com a usina Belo Monte, que será construída no Xingu. Segundo disse, Altamira já sente o impacto da obra com a chegada em massa de novos moradores e que a cidade não tem infraestrutura para acolher a todos.
A CNBB presenteou os jornalistas com o Texto-Base da Campanha, que começa hoje e se estende por toda a Quaresma. A Coleta da Solidariedade, feita no Domingo de Ramos, 17 de abriu, foi lembrada por dom Dimas como gesto concreto de solidariedade que está ao alcance de todos. O resultado da Coleta é usado para aprovar projetos sociais segundo o tema da Campanha.

Fonte: www.cnbb.org.br
Leia Mais

RESULTADO DO CONCURSO DE CARTAZES DE ARACATI

Comissão Julgadora - Aracati-CE

Desde o início de fevereiro/2011 as escolas da rede de ensino da cidade de Aracati foram mobilizadas à participar do Concurso de Cartazes (temática: Mudanças Climátricas) promovido pela ARATU. Inicialmente foi elaborado o regulamento do concurso de cartazes para os três municípios (Aracati, Icapuí, Fortim), e encaminhado com as secretarias de educação uma reunião para apresentação do regulamento e do material de apoio.
No dia 07 de fevereiro de 2011, foi realizada uma reunião com diretores de 10 (dez) escolas de Fortim e com o Departamento de Ensino da Secretaria de Educação de Aracati, onde foi apresentado o regulamento e entregue o material de apoio (DVD com vídeo e texto, e kit de material didático para a confecção de cartazes – canetinhas, giz de cera, lápis de cor e cartolinas).

No dia 28/02 de 2011 reuniram-se na Secretaria de Educação de ARACATI para apreciação dos cartazes a seguinte comissão julgadora:

Janaína Almeida da Silva (ARATU)
Janice da Silva Pereira (ARATU)
Zenilde Pereira da Silva (ARATU)
Flávio Marcelo B. Pinto (Artista local)
Elisomar Ferreira de O. Dias (Secretaria de Educação)
Francisco de Assis do N. da Silva (Secretaria de Meio Ambiente)

Após o processo de apreciação e julgamento da comissão, a mesma proclamou o resultado que segue abaixo. Lembramos aos ganhadores que a solenidade de premiação será no dia 07 de abril de 2011, no Seminário Regional de Educação Ambiental, local ainda a definir.



E E F Antonio Monteiro
1º Lugar: Raquel/5º B


2º Lugar: Anderson/4º A


Colégio Municipal

1º Lugar: Ariane da Costa Vieira/ 5º ano /10 anos

2º Lugar: Janielson Lima da Silva/5º ano /11 anos


E E F Marcelino Champangnat 
(A escola confeccionou os cartazes em grupo e a comissão decidiu considerar)

1º Lugar: 4º ano
Sávio, Julia, Vinicius, Beatriz Oliveira, Amirah Hapuque, Jamile Maria, Isabele Maria e Miguel

2º Lugar: José Maguiel, Lavinia, Ygor, Sandy, Bianca, João Pedro, Lívia, Italo e Myrella


E E F Domingos Costa Teobaldo

1º Lugar: Renan Barros Lima/5º ano/10 anos

2º Lugar: Artemio Guilherme da Silva/5º ano/11 anos


E E F Margarida Gondim

1º Lugar: Darleudo da Silva Ferreira/3º ano/07 anos

2º Lugar: Francisco Henrique da Silva Souza Morais/4º ano/09 anos


E E F Francisco Amaral

1º Lugar: Marcos Antonio R. Filho/3º ano B/08 anos

2º Lugar: Francisco Jaedison da Costa/4º ano B/15 anos


E E F São Francisco

1º Lugar: Adricio Pereira da Silva/4º B tarde/09 anos

2º Lugar: Nardiel Pereira da Silva/4º ano B/09 anos


E E F Zé Melancia

1º Lugar: Erivânio da Silva/4º ano B

2º Lugar: Samuel Gomes da Silva/4º ano


E E F João Maciel de Santana

1º Lugar: Lílian de Oliveira Silva/4º ano/09 anos

2º Lugar: Luan Maciel Lima/4º ano /09 anos


E E F Antonieta Cals

1º Lugar: Maria Clara  Ferreira Antunes/5º ano A/10 anos


2º Lugar: Darlan Freitas Jacome/5º ano A/09 anos


E E F Adolfo Caminha
(Apenas um cartaz concorreu)

1º Lugar: Breno Lobão Silva Barbosa/5º ano


E E F Maria Auxiliadora

1º Lugar: Djalma Correia Gondim Neto/5º ano B

2º Lugar: Adrielle da Silva Souza/5º ano A



OS GANHADORES MUNICIPAIS FORAM:

1º LUGAR:
Colégio Municipal
Ariane da Costa Vieira
5º ano - 10 anos

2º LUGAR:
E E F Domingos Costa Teobaldo
Renan Barros Lima
5º ano - 10 anos
Leia Mais

RESULTADO DO CONCURSO DE CARTAZES DE FORTIM

Desde o início de fevereiro/2011 as escolas da rede ensino da cidade de Fortim foram mobilizadas à participar do Concurso de Cartazes (temática: Mudanças Climátricas) promovido pela ARATU. Inicialmente foi elaborado o regulamento do concurso de cartazes para os três municípios (Aracati, Icapuí, Fortim), e encaminhado com as secretarias de educação uma reunião para apresentação do regulamento e do material de apoio.
No dia 07 de fevereiro de 2011, foi realizada uma reunião com diretores de 10 (dez) escolas de Fortim e com o Departamento de Ensino da Secretaria de Educação de Aracati, onde foi apresentado o regulamento e entregue o material de apoio (DVD com vídeo e texto, e kit de material didático para a confecção de cartazes – canetinhas, giz de cera, lápis de cor e cartolinas).

No dia 28/02 de 2011 reuniram-se na Secretaria de Educação de Fortim para apreciação dos cartazes a seguinte comissão julgadora:
Janaína Almeida da Silva (ARATU)
Janice da Silva Pereira (ARATU)
Zenilde Pereira da Silva (ARATU)
José Milton Pinheiro Filho (Artista local)
Antônio Florêncio Sobrinho (Secretaria de Educação)
Cleire de Oliveira Lima (Departamento de Meio Ambiente)


Após o processo de apreciação e julgamento da comissão, a mesma proclamou o resultado que segue abaixo. Lembramos aos ganhadores que a solenidade de premiação será no dia 07 de abril de 2011, no Seminário Regional de Educação Ambiental, local ainda a definir.


E E F M Professora Maria Luiza

1º Lugar: Aderlânio Coelho do Nascimento/5º ano C
 


 2º Lugar: Carlos Daniel Lima dos Santos/5º ano B



E E F Mauro Cavalcante de Souza

1º Lugar: Vanessa Barbosa Rocha/4º ano/9 anos


2º Lugar: Valéria Fernandes da Rocha/3º ano/8 anos


E E F Maria Pereira

1º Lugar: Ana Beatriz Batista Vieira/4º ano


2º Lugar: Diogo Ribeiro de Almeida/3º ano




E E F Mauro Bonotto

1º Lugar: Joana Vitória Araújo da Penha/4º ano

2º Lugar: Francisco André de Araújo Farias/4º ano




 E E F Artur Lira

1º Lugar: Leonardo Soares Gusmão/5º ano/10 anos




2º Lugar: Débora Pereira de Souza/4º ano/9 anos




E E F Comunitária da Barra

1ºLugar: Lucas Nascimento Ferreira/5º ano/14 anos
1º LUGAR MUNICIPAL

2º Lugar: Jhonatas da Silva Ferreira/3º ano C/07 anos




 E E F Edson Barbosa

1º Lugar: Tamires de Araújo Holanda/5º ano/09 anos
2º LUGAR MUNICIPAL

2º Lugar: Juliana Mateus de Souza/5º ano/10 anos


 E E F Emília Queiroz

1º Lugar: Sabrina dos Santos Silva/4º ano/9 anos


2º Lugar: Hugo Garcia do Nascimento/3º ano/8 anos




E E F João Ciríaco
1º Lugar: Daniele Santos Ferreira/5º ano/12 anos



2º Lugar: Thaiane Oliveira de Souza/4º ano/12 anos




E E F Coqueirinho

1º Lugar: Rôny Santos Lima/5º ano/9 anos



2º Lugar: Marcela Cavalcante da Silva/12 anos



OS GANHADORES MUNICIPAIS FORAM:

1º LUGAR:
E E F Comunitária da Barra
Lucas Nascimento Ferreira
5º ano - 14 anos

2º LUGAR:
E E F Edson Barbosa
Tamires de Araújo Holanda
5º ano - 09 anos
Leia Mais
Tecnologia do Blogger.
 

Quem somos!

Fundada em 28 de abril de 2005 por um grupo de jovens identificados com as questões ambientais, a Associação Aratu de Proteção aos Ecossistemas Costeiros - ARATU é uma entidade sem fins lucrativos sediada no município de Icapuí-CE. A primeira composição do grupo surgiu a partir do Curso de Caracterização e Recuperação de Áreas Degradadas do Ecossistema Manguezal que aconteceu em Icapuí-CE, no ano de 2003, em função da execução do Projeto Esse Mar é Meu.

Designed By: DIGITART | Jakson Ney